Como surgiu a cadeira? Recosta aí que lá vem história

Como surgiu a cadeira? Recosta aí que lá vem história
19 de maio de 2016 dulado

Dia desses, durante um curso de meditação, o instrutor lançou a indagação à plateia de aprendizes: “Quem foi o ser humano que inventou a maldita cadeira?”. O adjetivo pouco generoso foi empregado pelo guru ao perceber a necessidade dos meditadores em encontrar qualquer recosto improvisado para manter a coluna ereta durante a prática. “Na antiguidade, ninguém precisava disso para se sentir confortável”, disse.

De fato, se observarmos as crianças pequenas sentadas, é possível deduzir que esta necessidade é um hábito construído culturalmente durante a vida. Os pequenos pouco se importam com assentos que deem conforto às costas: estão lá, acomodados sobre o chão, firmes e retilíneos, até que vêm as escolas, os restaurantes, cinemas e… eis aí o surgimento de mais um ‘dependente’. Mas vamos entender neste texto que, além de decorativas, as cadeiras têm funcionalidades bem importantes.

Historicamente, a origem primordial das cadeiras data de tempos beeem remotos, quando o hominídeo utilizava pequenos bancos construídos em pedra. Mas ainda não havia qualquer pompa e circunstância. É possível que eles quisessem apenas evitar o contato direto com a terra, protegendo-se de visitas desagradáveis nas partes íntimas (não vamos tratar aqui da invenção da lingerie, ok?).

Hominideos

Nos livros dedicados ao assunto, diz-se que a cadeira foi inventada no Egito Antigo, cerca de 2800 anos a.C. No começo vieram os bancos e só mais tarde apareceram as cadeiras no formato mais clássico que conhecemos, com encosto que dão suporte à coluna. O nascimento e um longo percurso de vida da cadeira como ela é (banco + encosto) estão intimamente associados a uma ideia de status e poder. 

No Egito, seu uso era restrito aos soberanos. Feitas de ébano e cedro, e muitas vezes revestidas em ouro e marfim, elas eram verdadeiras obras de arte. Formatos de animais inspiravam suas molduras. Muitas cadeiras da época – encontradas em estados distintos de conservação – trazem os apoios esculpidos como pernas que terminam nas garras de leões ou touros.

 cadeira

Na Idade Média, as cadeiras passaram a ser artigos de luxo da nobreza, com construções e armações diversas. Não à toa, a palavra cadeira vem do Grego káthedra (local de assento) e do Latim cathedra (cadeira de braços), um assento especial que se designava ao uso de autoridades, professores e, mais tarde, às figuras mais altas das ordens eclesiáticas. O que é catedral? O lugar onde fica a mais alta autoridade eclesiástica da região.

Até hoje, um catedrático é aquele que, dentro da universidade, tem alto valor de conhecimento. E como são chamadas as disciplinas que ele ensina? Cátedra. Ou mesmo cadeira. Nota-se que a cadeira foi se tornando cada vez mais necessária à medida que os homens dedicavam-se mais aos estudos, leituras, ou seja, ao progresso intelectual. Imagine, na atualidade, um dia inteiro dedicado ao trabalho em computadores sem o auxílio de um assento confortável?

cadeira idade media

A revolução das cadeiras OU cadeira para todos! _o/

O governo da época interviu com ações políticas e econômicas para que o uso do assento se democratizasse em todo mundo. O ponto alto das mudanças foi a Revolução Industrial, ao fim do século XIX, que fez as peças únicas darem lugar à produção em série. E com isso criou-se um novo atributo aos assentos: a funcionalidade.

Em vez dos detalhes e adornos em excesso das peças artesanais, o minimalismo “forma e função” ganharam espaço. No século XX, a tecnologia passou a ser importante na produção de cadeiras e o metal foi introduzido. Um dos primeiros hits de vendas nos Estados Unidos foi a Hill House, de Charles R. Mackintosh, em 1928.

hillhouse

Outro clássico que marcou o design arrojado para cadeiras foi a Wassily, inspirada nos tubos da bicicleta de seu criador, Marcel Breuer.

Wassily_Chair2

Já o design italiano veio arrebatar o cenário do mobiliário apenas depois da 2ª Guerra Mundial, sobretudo em Milão, meca do design internacional até hoje. Arrojamento, beleza e contemporaneidade marcam as criações vindas de lá. As cadeiras, assim, voltam a ganhar status de arte, porém em patamar mais acessível do que no começo da sua história.

Cadeira brasilis: a chegada do assento no nosso país

Aqui no Brasil a cadeira só foi chegar no século XVI, junto com os portugueses. Até então, nas moradias indígenas, o mobiliário indispensável era formado por redes e esteiras, apenas.

Demorou bastante tempo para que a cadeira ganhasse popularidade em terras tupiniquins. Por muito tempo, seu uso esteve restrito a igrejas, palácios de governo e outros lugares requintados. Só o século XIX viu os primeiros assentos ganharem lugar nas casas brasileiras, ainda assim com design sem identidade, copiado do mobiliário europeu, e apenas em famílias mais abastadas.  A arquitetura e o design nacionais só debutaram com desenvolvimento da indústria brasileira.

Comment (1)

  1. Antonio Marques 1 ano atrás

    Olá, eu gostaria de tirar algumas dúvidas, por favor,
    me retorne este contato se posssível.
    Meu é email é

    ebookrevenda@gmail.com

    Aguardo com urgencia.
    Att: Antonio.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.